terça-feira, 30 de março de 2010

Dois Olhares uma visão : Liberdade!

Foto: Fidalgo Pedrosa - um passado bem presente -

Não há como deixar de constatar que num mundo tão plural e caótico, cuja população estimada para 2010 é de 7 bilhões de habitantes, que uma nova linguagem necessita ser partejada, uma linguagem que nos proteja de nós mesmos e do sistema opressor que nos faz reféns em suas infindáveis teias.

A internet me parece ser um veículo capaz de dar voz aos nossos anseios, de mobilizar, informar, denunciar, reduzir as distâncias, promover intercâmbio, impedir atrocidades, entre tantas maravilhas. Ela sem dúvida nos oferece um novo filtro, sendo uma poderosa ferramenta de transformação, mas ainda, será nossa escolha, nosso foco, nossa responsabilidade fazer desse instrumento um condutor decisivo para nossa participação nessa viagem pelo belo planeta Terra.

Foto:J.Pedro Martins - (N)um quadrado d'oiro Portugal

Assisti ao vídeo sobre Eduardo Marinho, através do blog do companheiro de viagem Adriel – Eterno Retorno, que por sua vez, soube do vídeo pelo link deixado pelo blog Balaio Variado em comentário ao seu artigo O esvaziamento da Arte, e que agora para contribuir com essa corrente de reflexão publico também.

Postado no You Tube em novembro de 2009, o vídeo vem causando polêmica, e muitas adesões ao blog Observar e Absorver onde Eduardo Marinho expõe suas idéias e sua arte - lá no seu blog, assim como no You Tube - jovens declaram que sofreram uma transformação, em contato com elas. As pessoas podem criticar o livre pensamento de Eduardo, entretanto, a sua fecundidade está no fato dele ser pragmático, e isso é inegável. Toda sua fala é baseada em experiências, não é um mero discurso, (como é tão comum hoje em dia), dissociado da prática. A maior coragem que verifico em Eduardo, é a de olhar para dentro, se questionar, ser um observador de si mesmo. Ele abandonou o exército e a arma que o faria atirar como um autómato, sua arma agora, é sua expressão autêntica de vida.

Pensando tristemente em como vivemos um tempo esquisito, onde pessoas apontadas como “celebridades” são aquelas que despejam baboseiras num programa líder de audiência e de faturamento, saí procurando alternativas, referências reais de pessoas exemplares, então fui dar uma olhada na revista eletrônica Via Política (livre informação e cultura) e com grande alívio, encontrei o sensível cineasta e também pensador Luiz Rosemberg Filho, ele havia acabado de postar um texto onde discorre sobre quão desafiador é exercer a liberdade " além dos limites impostos pela ordem dominante" por isso o curta-metragem denominado $em Título, " passa por um outro registro, mais adequado a um uso criativo da desobediência como virtude e potência" que é um outro olhar sobre o tema – liberdade. Então deixo aqui os dois vídeos para nossa reflexão,além dos links para os textos.


Foto: Egberto Simoni - Cores cativas - Brasil

Micronto:

O planeta azul estava em grave risco. Seus habitantes exerciam cada vez mais sua vocação: comunicação. E foi justamente isso que os salvou.


Margareth Bravo

9 comentários:

  1. Olá Meg
    O homem está sempre em busca de um pouco mais de liberdade. Seja para expor suas idéias, seja para sobreviver nessa selva em que o mundo se transformou. Por sorte no Brasil, apesar de tudo, ainda temos um puco de liberdade para fazer nossas escolhas, embora, por incrível que pareça, alguns insitam em querer escolher pelo povo. Concordo que a internet tem sito um diferencial para divulgação de boas causas, bem como para exposição de idéias. Todavia, ao mesmo tempo que divulga o que é bom, também divulga o que é ruim. Enfim, cabe ao homem escolher, sempre.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Oi Meg

    Obrigada por me visitar e colocar o linck para meu blog!
    É importante passarmos para frente as palavras sábias do Eduardo, pois são palavras que nos fazem refletir e com certeza causam algumas modificações internas.
    Acho que a arte transformadora, causa todo o tipo de reação. Sinal de que está viva e que está
    mexendo com o pensamento das pessoas.

    Se me permite... deixo o linck para um outro trabalho interessante.

    Maria Farrar - A Menina condenada à morte


    http://balaiovariado.blogspot.com/2010/01/menina-condenada-morte-baseado-em.html#links

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Olá Margareth, acho que seus problemas com o computador passaram pra mim, esses últimos dia tenho andado brigando com a "técnica" ;)

    Agora, lendo seu texto com calma, compartilho da necessidade de uma nova linguagem, essa linguagem ocidental que destituiu a multiplicidade e se baseia em tomar "as coisas pelas palavras", em princípios lógicos, de identidade, substância... é algo que me perturba há muito tempo, eu e essa linguagem travamos uma briga diária, porque ela não dá conta de dizer o que gostaria de dizer. Não obstante essa necessidade de 'partejar uma nova linguagem', só não sei se seria possível uma linguagem capaz de expressar o inefável da vida, parece uma questão de impossibilidade, mas necessário... necessário uma linguagem mais estética e artística. E nesse sentido, a internet é um meio que pode possibilitar isso, e também criar outras dificuldades, enfim, é um tema que me interessa. Cá entre nós, tem um filósofo, Pierre Levy, que anda discutindo a relação de nós humanos com essa ferramenta que tem gerado tantas mudanças, está na minha lista para ler, mas ainda não conheço nada do pensamento dele.

    Eu gostei muito do 'desabafo' do Eduardo, mas sobretudo as pinturas dele, são coisas tão concretas e quando postas em arte são capazes de gerar espanto, levando-nos a querer ir no 'fundo' das coisas...

    E o vídeo da menininha fazendo os adultos se envergonhar... ele "agride" o adulto, pode fazer com que ele re-pense a si mesmo, por outro lado, também senti horror pois me foi muito estranho uma garotinha com esse discurso que passou sob a ótica da artificialidade, me pergunto: o que fizeram para que ela dissesse tais palavras? - E pensar em algumas possibilidades de respostas me causa um certo mal-estar. Todavia, é um vídeo capaz de chocar, guardei-o comigo ;)

    um abraço

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente Jorge, existem mecanismos subliminares que roubam nossa liberdade de escolha, por isso escolher, está além de países, ideologias,partidos credos. Mas ainda sim, nos cabe sempre escolher!

    ResponderExcluir
  5. Amiga do blog Balaio Variado, fico feliz que tenha gostado do vídeo $em Título.
    Agradeço também suas sugestões. Vamos navegando e trocando idéias por esse oceano virtual!
    um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  6. Oi Adriel!
    Espero sinceramente que esses males tecnológicos não nos atinja muito. Não gostaria de ser privada de ler seus textos por exemplo.
    Ainda não li sobre esse filósofo que vc cita, e pelo tema, já entrou para minha lista de prioridades também. Quanto a menininha, eu imaginei que tenha talento de atriz e facilidade para decorar textos e como numa brincadeira foi dado a ela ler os textos que ouvimos no curta, como poderia ter sido um poema. Não sei se é exatamente isso, mas podemos saber através do Luiz Rosemberg Filho( o email dele está no site Via Política). Também refleti sobre isso, e recordei a mim mesma com 5 anos decorando versos e textos para teatro sugeridos por minha mãe ou tias, que sentiam prazer no meu gosto pela arte. Mas é um tema para esmiuçar. O que sentimos talvez diga de nossas experiências pessoais. O que me bateu, foi o sentimento de repressão que sofremos na infância, ainda que não tenhamos esse discurso tão elaborado para expressar-nos. Por isso recordar o sentimento na voz de uma criança, me traz uma dorzinha na alma, a dor da minha criança! beijo
    obs: Vou te escrever por email, mas quero fazer isso com calma.

    ResponderExcluir
  7. Só uma coisa me entristece... roubando o verso de uma grande poeta, a bi-sextualidade de suas postagens, afinal, estamos no final de julho e esse tópico é do final de março. Sei que a vida é corrida, além da sua jornada que é, certamente tripla, ou quiçá, quádrupla... Mas, não obstante tudo isso e mais algumas coisas que sempre acabamos de esquecer, faz-se necessário que pibliques algo, alguma coisa, qualquer coisa, até mesmo porque, o que sai de tua lavra é sempre uma coisa preciosa... De mais a mais, sinto saudades, talvez banzo, e vou, de joelhos, suplicar: escreva algo, poste algo, não nos deixe sós, afinal como disse Maiakóvski, "A poesia - toda - é uma viagem ao desconhecido."

    ResponderExcluir
  8. Meu querido e saudoso amigo! Muito obrigada pelo seu carinho e por me chamar a responsabilidade com toda a razão!Realmente falta tempo, mas principalmente pelo fato de eu ser muito exigente e perfeccionista, Quero ser escolher a foto mais adequada ao texto, também fico questionando a validade do texto ou poema. Apesar de ser um simples blog, recebo visitas, comentários, emails, que demonstram a influencia que um texto sem compromisso pode exercer sobre as pessoas, e isso amplia ainda mais a responsabilidade. Vou publicar essa semana e muito feliz por sua dedicada amizade!Adorei seu modo de expressá-la!muitos beijosss

    ResponderExcluir

Muito obrigada por sua visita! Enriqueça o espaço dessa procura, contribua com sua reflexão.
Ao selecionar o perfil, escolha "nome/url". Preencha seu nome e deixe o campo "url" em branco, caso não possua site ou blog.Saudações!